3.13.2007

Projecto

O Hospital por norma é visto como local de doença e não de saúde.
Esse factor já é suficiente para causar angústia nos pacientes causando um agravamento das suas condições físicas ou psicossomáticas.
É consciente da importância da humanização de espaços como estes que surge o projecto «DAR COR À VIDA!»

Pretendemos descaracterizar a imagem negativa, depressiva e fria dos hospitais, e dar-lhe um ambiente de Vida e Saúde! A faixa etária que mais sente este desconforto e receio são as crianças, pela vulnerabilidade destas, por isso o projecto visa tornar a Sala de Espera Pediátrica num local que proporcione uma boa relação entre os utentes e o meio envolvente para que o período de visita ao hospital seja menos traumático, tanto para quem adoece como para quem cuida.

Ao entrar será como entrar num mundo mágico... A salas de espera, gabinetes ou quartos contarão com ilustrações infantis originais em todas as paredes ou tectos. As cores são escolhidas cuidadosamente, por forma a que o espaço mostre o que se espera dele - um lugar que transpareça higiene e conforto. Assim a cor que serve de fundo é normalmente o branco e todo o resto estará coberto de cores suaves e agradáveis como o verde, azul e violeta (cores que estudos comprovam o seu efeito calmante), e com menor quantidade nos detalhes em amarelo, laranja e rosa para que se obtenha um ambiente cada vez mais acolhedor e vibrante.
Pretende-se desta forma que as ilustrações criem não só uma distracção visual como um espaço de interacção e diálogo entre pais e filhos.

1 comentário:

Ana Biscoito disse...

Ao comprar a LuxWoman de Janeiro, vi o pequeno artigo sobre o "Dar Cor à Vida", que desde logo me cativou.
Sou professora do 1º Ciclo num colégio privado há 12 anos e, de certa forma, uma das responsáveis pelas decorações dos espaços envolventes, que se vão caracterizando ao longo do ano, de acordo com as festividades.
Gostaria de me voluntariar para pintar o IPO em Lisboa, porém, não consegui aceder ao vosso email. tenho apenas os fins de semana livres... mas muita vontade de participar num projecto tão nobre.
Caso seja do vosso interesse agradecia que me contactassem.
Atenciosamente,
Ana